Cirurgia de Catarata por Facoemulsificação

Catarata-com-Faco-emulsificado

A cirurgia de catarata por facoemulsificação é realizada através da utilização de uma caneta ultrassônica a qual é introduzida no olho por uma pequena abertura de aproximadamente 2.5 mm. A energia ultrassônica possibilita a destruição e aspiração do cristalino opaco (catarata). A cirurgia pode ser realizada sob anestesia tópica através de gotas de colírio anestésico ou por bloqueio local do olho. Em ambos os casos o paciente é liberado no mesmo dia sendo necessário a revisão no dia seguinte.

A catarata é removida por meio da facoemulsificação ou cirurgia com pequena incisão. Usando apenas anestesia tópica (colírios) faz-se uma incisão em degrau de cerca de 2,5 mm na esclera (parte branca do olho) ou na córnea clara (logo acima da área onde a córnea encontra a esclera). Com o ultra-som, a catarata é fracionada em partículas microscópicas e aspirada. Em seguida, para compensar a remoção do cristalino, é implantada uma lente intra-ocular (LIO). A incisão em degrau faz com que o olho permaneça completamente selado pela pressão natural externa.

Benefícios

  • A anestesia tópica e a incisão auto-selante trouxeram a cirurgia de catarata a um nível mais alto.
  • Com o colírio anestésico não há necessidade da dolorosa injeção de anestesia, a qual retarda a restauração da visão e pode causar inchaço e descoloração da pele.
  • Muitos pacientes são capazes de ver nitidamente logo após a cirurgia. Atualmente, na maioria dos casos, é possível retornar às atividades como ler e dirigir, em curto espaço de tempo.

Lentes intra-oculares

  • Hoje existem lentes capazes de corrigir todos os erros refrativos, possibilitando assim a dispensa do uso de óculos de grau.

Recuperação

  • As pessoas têm diferentes períodos de recuperação, mas de acordo com a Sociedade Americana de Catarata e Cirurgia Refrativa (EUA), 98% dos pacientes apresentam melhora da visão após a cirurgia. Uma visão melhor do que os pacientes tinham, antes de desenvolverem a catarata.
  • Uma vez removida, a catarata não voltará.
  • Nos casos em que ocorrer o embaçamento da membrana atrás da pupila, após a cirurgia, pode-se realizar um tratamento rápido e no consultório, com o YAG LASER.

Evolução da Cirurgia de Catarata

Os últimos 30 anos foram marcados por grandes conquistas nas cirurgias de catarata. Até a década de 70, a cirurgia consistia em uma extração completa do cristalino com o auxílio de sonda de crio, cirurgia esta chamada de facectomia intra-capsular ou FIC, que consistia no congelamento do cristalino o qual era posteriormente “arrancado” da sua posição original.

Além das limitações e complicações inerentes à técnica, tal procedimento somente era realizado sob anestesia geral, com o paciente tendo que permanecer deitado por até uma semana.

Seguindo a evolução, a FIC foi substituída pela facectomia extra-capsular ou FEC, na qual o cristalino é totalmente removido preservando-se o saco capsular, o qual posteriormente serve de suporte para o implante da lente intra-ocular.

Esta técnica, ainda hoje muito utilizada, possibilitou uma rápida recuperação visual, além de uma melhora na qualidade visual final do paciente.

Atualmente, temos a facoemulsificação e as lentes intra-oculares dobráveis. Esta cirurgia pode ser realizada através de anestesia tópica (gotas de colírio) ou por bloqueio local, decisão esta tomada pelo oftalmologista de acordo com a experiência do cirurgião e análise de cada caso.
 
* Muito importante: Apenas seu oftalmologista pode avaliar com precisão seu caso clínico em particular.
Clique aqui para agendar uma consulta ou ligue: (27) 3200-3435 


Fale conosco pelo WhatsApp